Espaço cultural

 Lugar de expressão

GJA_3028

O Teatro Grande Otelo tem capacidade para cerca de 100 pessoas e é o espaço preferido para eventos e atividades do Friburgo. Além de apresentações teatrais, circo, coral e música, o lugar também abriga palestras, reuniões e debates, transformando-se em um verdadeiro auditório.

Um dos mais importantes atores do Brasil

 O Colégio Friburgo batizou seu teatro com o nome artístico de Sebastião Bernardes de Sousa Prata, o homem que adotou a alcunha de Grande Otelo. Seu pai morreu esfaqueado e sua mãe era uma cozinheira que não largava o copo de cachaça. Sebastião fugiu com uma Companhia de teatro mambembe que passava por Uberlândia e foi adotado pela diretora do grupo, Abigail Parecis, que o levou para São Paulo.

Mas ele fugiu de novo e, após várias entradas e saídas do Juizado de Menores, foi adotado pela família de Antonio de Queiroz, um político influente. Sebastião estudou no Colégio Sagrado Coração de Jesus, cursando até a terceira série ginasial. Nos anos 20, integrou a Companhia Negra de Revistas, cujo maestro era Pixinguinha. Em 1932, entrou para a Companhia Jardel Jércolis, pai de Jardel Filho e um dos pioneiros do teatro de revista. Ganhou o apelido de pequeno Otelo, mas ele preferiu “The Great Otelo”. Depois traduziu para o português, virando o Grande Otelo.
O ator passou pelos palcos dos cassinos, dos grandes shows e do teatro. Trabalhou no cinema em Futebol e Família (1939) e Laranja da China (1940), e em 1943 fez seu primeiro filme pela Atlântida: Moleque Tião. Junto com Oscarito, participou de mais de dez chanchadas como Carnaval no Fogo, Aviso aos Navegantes e Matar ou Correr. Em 1942, participou de It’s all True, filme realizado por Orson Welles no Brasil.
Outra tragédia viria a abalar a vida de Otelo nessa época: sua mulher matou o filho do casal, de seis anos de idade antes de se suicidar.
Em 1969, fez Macunaíma, um de seus trabalhos mais marcantes. Como ator dramático, marcou presença em vários filmes, dentre os quais Lúcio Flávio – Passageiro da Agonia e Rio, Zona Norte. Em Fitzcarraldo (1982), do alemão Werner Herzog, filmado na selva do Peru, Otelo precisava fazer uma cena em inglês, mas resolveu falar espanhol. Quando o filme estreou na Alemanha, aquela foi a única cena aplaudida pelo público.
Em 1993, Grande Otelo morreu de enfarte ao desembarcar na França, onde receberia uma homenagem no Festival de Nantes.

(Fonte: UOL Educação)

Descoberta do olhar
GJA_9150

Com capacidade para 40 alunos, o Salão de Artes é utilizado nas aulas de Artes Plásticas dos cursos regulares e também nas oficinas de artes realizadas pelo Período Ampliado. Especialmente adaptado para esses encontros, o objetivo do espaço é sensibilizar os estudantes e permitir sua expressão e a descoberta do valor do olhar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s